Paciente intubado no pronto socorro

Paciente intubado no pronto socorro

00h10’ Paciente no 3° DIH por choque mixto (cardiogênico +séptico) de foco pulmonar + 2° IOT por rebaixamento do nível de consciência + Insuficiência respiratória aguda, evolui sedado, Ramsay 6, intubado, descorado 2+/4+, acianótico, anictérico, hemodinamicamente compensado em uso de drogas vasoativas, em repouso no leito a 30°, grades elevadas constantemente.

Monitorizado, mantém CDL em VJD (03/06) sem sinais flogísticos ou sangramento, em uso de dobutamina 15ml/h, noradrenalina 10ml/h, midazolan 5ml/h e fentanila 5ml/h em BIC, em uso de antibioticoterapia EV – METRONIDAZOL D2/10 e CLARITROMICINA D2/10. Intubado no ventilador AVEA modo pressão assistida/controlada, PEEP: 6, Fio2: 40%, FR: 18ipm. Mantém PAI em radial D (03/06) sem sinais de sangramento ou hematoma, SNE (03/06) recebendo dieta 20ml/h em BIC + AF 50ml a cada 6h, SVD n°16 (03/06) com débito urinário presente, concentrado.

Pupílas isomióticas foto+, tórax simétrico com expansibilidade bilateral preservada, MV+ com crepitação em base D, abdome globoso, flácido, sem VMG palpáveis, extremidades quentes e bem perfundidas TEC<3s, com edema de MMII 3+/4+, sem sinais de UPP.

Ultima evacuação 06/06 pela manhã, semi-pastosa.

Aos parâmetros vitais de 24h:

T° 36.8-37.6 (pico pela manhã)

FR 18ipm

FC 98-112bpm

PAM 68-72mmHg

PAS 110-126mmHg

PAD 58-62mmHg

SAT 95-98%

Glicemia Capilar 121/217 mg/dl

PEEP 6

Fio2 40-50%

Débito Urinário 930ml/24h

Balanço Hidrico: +50ml

 

Principais Diagnósticos de Enfermagem (NANDA):

  • VENTILAÇÃO ESPONTANEA PREJUDICADA
  • RISCO DE DÉBITO CARDÍACO DIMINUÍDO
  • RISCO DE SANGRAMENTO
  • RISCO DE INFECÇÃO
  • RISCO DE ASPIRAÇÃO
  • RISCO DE UPP
  • RISCO DE GLICEMIA INSTÁVEL
  • VOLUME EXCESSIVO DE LÍQUIDO

 

Prescrição de Enfermagem:

  1. Verificar, anotar e comunicar alteração dos SSVV;
  2. Verificar, anotar e comunicar sinais de sangramento;
  3. Verificar, anotar e comunicar alteração da saturação de O2 e comunicar se <90%;
  4. Verificar, anotar e comunicar sinais e/ou sintomas de hiper/hipoglicemia;
  5. Manter monitorização da FC, PA, Saturação;
  6. Realizar mudança de decúbito a cada 2h;
  7. Realizar aspiração das VAS a cada 6h e se necessário;
  8. Testar posicionamento da SNE antes de administrar a dieta ou medicação;
  9. Manter reposo absoluto no leito a 30°;
  10. Manter grades elevadas constantemente;
  11. Realizar banho no leito;
  12. Realizar controle de diurese por SVD;
  13. Realizar troca da fixação dos cateteres e sondas após o banho;
  14. Realizar antissepsia dos conectores dos cateteres vasculares antes de manipulá-los;

 

You might also like

Colisão de automóvel (TCE)

Paciente de 30 anos trazido ao PS pelo Serviço Médico Pré-hospitalar após colisão de automóvel com o provável diagnóstico médico de TCE, apresentando-se com rebaixamento do nível de consciência, (Glasgow

Evolução de Enfermagem por etapas

ESTRUTURA DE UMA EVOLUÇÃO DE ENFERMAGEM POR ETAPAS: Basicamente uma evolução de enfermagem deve obedecer a etapas que dividirão as informações, organizando-as de forma que o leitor identifique com facilidade

Infarto agudo do miocárdio no pronto socorro

Pré-Cateterismo: 00h45’ João Vieira, 68 anos AP: HAS DM DLP Miocardiopatia Isquemica FE: 38% Ex-Tabagista (20 anos/maço) parou há 30 anos Obeso Paciente proveniente do Hospital Santa Casa com quadro

0 Comments

No Comments Yet!

You can be first to comment this post!

Leave a Reply